O que o Vasco precisa melhorar para terminar o Brasileirão no G7

Faltam nove pontos. Três jogos separam o Vasco de seu principal objetivo: a classificação para a Libertadores. Na quarta-feira, o time desperdiçou a quarta chance de entrar no G-7 e mostrou que ainda não consegue dar o salto decisivo para se credenciar ao torneio continental. Agora, precisará buscar fora de casa os pontos que deixou pelo caminho em São Januário.

O tempo é curto. Serão três semanas decisivas para Zé Ricardo conseguir achar o ingrediente que falta para fazer um time competitivo passar a definir os jogos como se espera. O treinador pregou foco apenas no Atlético-PR, mas há aspectos que podem melhorar para que o Vasco, enfim, chegue ao G-7. Confira:

Finalizações

A produção ofensiva do Vasco melhorou bastante nos jogos contra São Paulo e Atlético-MG. Entretanto, com isso, apareceu outro problema: o time tem criado muito, mas ainda é pouco eficiente. Diante do Galo, a equipe se deparou com um Victor inspirado, mas é possível melhorar o rendimento: Paulinho teve duas boas chances, Rios fez um gol e levou perigo em cabeçada, Wagner arriscou de longe. Especificamente contra os mineiros, faltou maior participação de Nenê.

Rios lamenta chance perdida: argentino fez gol sobre o Atlético, mas time perdeu muitas oportunidades (Foto: André Durão/GloboEsporte.com)

Concentração

Os gols sofridos contra São Paulo e Atlético-MG tiveram a mesma origem: erros na saída de bola, com Jean e Nenê, respectivamente. O Vasco foi superior na maior parte dos dois jogos, mas acabou penalizado rapidamente nos poucos momentos em que deixou o adversário jogar. Zé gosta de dizer que esta reta final é como uma Copa do Mundo, e o nível de concentração exigido é o mesmo.

Saber sofrer

O Vasco teve grande dificuldade em segurar vantagens ao longo do período com Zé Ricardo. Muitas das vitórias se transformaram em empates porque o time não conseguiu matar o jogo – e aí entra o quesito de melhoria nas finalizações. Mas a questão vai além: a equipe ainda não consegue lidar com os momentos em que o adversário é superior.

Tranquilidade

A ansiedade foi apontada por Zé Ricardo como um problema diante do São Paulo. O fato é que a quantidade de jovens no elenco do Vasco cobra seu preço. Muitos deles estão em seu primeiro Campeonato Brasileiro e são expostos a novas situações a cada semana – faz parte do processo de desenvolvimento. Nomes como Paulinho, Evander, Caio Monteiro e Gabriel Félix foram parte integrante do time nas últimas rodadas, tiveram importância, mas ainda oscilam.

Fonte: GloboEsporte.com

Compartilhar:

Comentários